O Poder da Cromoterapia

O Poder da Cromoterapia

Disponível: Sem estoque

Autor: Manville Avalon (Org.)
A arte-ciência da cromoterapia é uma antiga prática da medicina ayurvédica que utiliza as propriedades curativas das cores.
saiba mais
Descrição

Detalhes

O verbete cromoterapia, no Novo Dicionário Aurélio da língua portuguesa, registra estas palavras: '[De crom(o) = terapia.} S.f. med. 1. terapêutica que utiliza lures de várias cores. 2. Emprego terapêutico de áreas limitadas do espectro.'

Importante terapeuta da área escreveu: 'Um dos propósitos da Medicina Natural é dar ao ser humano elementos para se libertar da quase total dependência em relação ao sistema médico moderno, fundamentado na tecnologia. Não que as cirurgias, os remédios sintéticos e os demais aspectos do complexo hospi-talar-farmacêutico representem apenas decorrências de um sistema determinado pelo interesse industrial e pelo lucro com a doença.

Em outras épocas e culturas, quando o ser humano mantinha maior conta-to com a Natureza, evitavam-se as doenças por meio de cuidados com a alimentação, tratamentos caseiros e um estreito vínculo com os curandeiros comunitários.

Atualmente, a Organização Mundial de Saúde procura restaurar essa medicina não-oficial perdida ou solapada pela massificação.

A cromoterapia, uma antiga prática da medicina ayurvédica, verdadeira arte-ciência que utiliza as propriedades curativas das cores, é hoje estudada e aplicada nos centros mais avançados do mundo.'

Este livro-clipping aborda a cromoterapia numa perspectiva moderna e atual.
Comentários
Sumário
O QUE É COR   9
Dr. Morton Walker

ESTUDO GERAL DAS CORES   23
Gérard Edde

CROMOTERAPIA EM NÍVEL MENTAL    43
Wilson G. Mallmann e Araci M. V. Mallmann

PODERES DE CURA DAS CORES INDIVIDUAIS   55
Reuben Amber   

OS EFEITOS DAS CORES   79
Dr. Márcio Bontempo 

CROMOTERAPIA PROPRIAMENTE DITA   95
Valcapelli

CROMOTERAPIA   105
Shalila Sharamon e Bodo J. Baginski 

LEITURA RECOMENDADA   13
113
Informações Adicionais
Livro NOVO.

Formato 21 x 14 cm

Editora Martin Claret, 1ª Edição, 1998

122 páginas