Sepher Yezirah - Um Livro Sobre a Criação

Sepher Yezirah - Um Livro Sobre a Criação

Disponível: Sem estoque

Autor: Isidor Kalisch

Livro Usado

Este ensaio metafísico, chamado Sepher Yezirah (livro sobre a criação, ou cosmogonia), que procurei traduzir para o inglês, com notas explanatórias, é considerado por todos os literatos modernos como o primeiro livro filosófico escrito em língua hebraica.
saiba mais
Descrição

Detalhes

Este ensaio metafísico, chamado Sepher Yezirah (livro sobre a criação, ou cosmogonia), que procurei traduzir para o inglês, com notas explanatórias, é considerado por todos os literatos modernos como o primeiro livro filosófico escrito em língua hebraica. Mas a época da sua composição e o nome do autor ainda não foram determinados, a despeito das mais requintadas pesquisas feitas por renomados arqueólogos. 

Alguns afirmam que este ensaio é mencionado no tratado do Talmude do Sinédrio, pág. 66 b., e ibid. 67 b., trecho este que está de acordo com o comentário de Rashi, no tratado Erubin, pág. 63 a., notícia histórica fidedigna. Assim, este livro já era conhecido no século II ou no começo do século III da Era Cristã. 

O historiador, Dr. Graetz, procura mostrar muito habilmente em sua obra, intitulada Gnosticismo, págs. 104 e 110, que ele foi escrito nos primeiros séculos da Igreja Cristã, exatamente quando as ideias e opiniões dos gnósticos estavam em voga. Contudo, ele mais tarde mudou de opinião. (Ver História dos Judeus, do Dr. Graetz, Vol. V, pág. 315, numa nota.)

O Dr. Zunz, o Nestor dos rabinos judeus da Europa, afirma que temos de buscar a origem do livro Yezirah no período Geônico (700-1000), e que, por conseguinte, foi composto no período pós-talmúdico. Mas se este é o caso, é muito estranho que Saadjah Gaon, que viveu no século X, e Judá Halevi, no século XII, dissessem que o livro Yezirah é obra muito antiga. 

Portanto, parece-me que o Dr. Graetz não tem motivos suficientes para contradizer sua opinião sobre a idade deste livro, porque todas as dúvidas que ele e outros apresentaram contra esta suposição caem por terra quando consideramos que os livros antigos, em sua maioria, sagrados ou profanos, tiveram um mesmo destino, isto é, que de uma época para outra, interpolações para mais ou para menos eram feitas pelos copistas e comentaristas. 

Comentários
Informações Adicionais
Livro USADO. Texto, gravuras e fotografias íntegros. 

Formato 23 x 16 cm

Editora Rosacruz, 1ª Edição, 1980

71 páginas