Tratado Elementar de Magia Prática

Tratado Elementar de Magia Prática
Adaptação, Realização, Teoria da Magia. Obra ilustrada com 160 figuras
saiba mais
Descrição

Detalhes

Depois de Nostradamus, ninguém como Papus conseguiu interpretar com tanta clareza os mistérios dos tarôs, mercê dos vastos conhecimentos que possía sobre línguas, costumes, civilizações e tradições dos povos antigos. Traduzidos em diversos idiomas, seus livros devem estar presentes não só nas estantes do mais modesto estudante, como entre os tratados nas grandes bibliotecas.

 *-*-*-*

Papus é o pseudónimo sob o qual o médico francês Gérard Anaclet Vincent Encausse (1865-1916) publicou, com exceção de seus livros de medicina, sua vasta obra, que consta de mais de 400 artigos, cerca de 60 folhetos e conferências e 25 obras maiores, que formam uma súmula das preocupações, ideias e conhecimentos de um meio cuja influência foi profunda sobre o mundo literário, religioso, artístico e político de sua época.

Como muitos de seus mais ilustres contemporâneos, Papus começou por aderir à Sociedade Teosófica, que deixou para organizar a Ordem Martinista, da qual foi grão-mestre até sua morte. Fez também parte do supremo Conselho da Ordem Cabalística da Rosa-Cruz e manteve relações de amizade com diversas Obediências maçónicas, introduzindo na França o Rito Oriental de Misraim.

Seus livros referiam-se com frequência à Cabala, à Astrologia, à Nu-merologia e à Alquimia, num esforço bem-sucedido de aproximar, à maneira da Sociedade Teosófica, essas diversas tradições. A influência do Espiritismo foi igualmente forte sobre ele, aliada ao gosto pela experimentação e pelo controle das forças psíquicas, domínio no qual, como médico, sentia-se à vontade.

Como magista ou astrólogo, alquimista ou quiromante, fisiognomonista ou magnetizador, hipnotizador ou espiritualista, cabalista ou radiopata, Papus teve grande destaque e acatamento. Sua obra é a mais volumosa de quantas se conhecem nos domínios do Hermetismo.

Depois de Nostradamus, ninguém como Papus conseguiu interpretar com tanta clareza os mistérios dos tarôs, mercê dos vastos conhecimentos que possuía sobre línguas, costumes, civilizações e tradições dos povos antigos. Traduzidos em diversos idiomas, seus livros devem estar presentes não só nas estantes do mais modesto estudante, como entre os tratados nas grandes bibliotecas. 

Comentários
Sumário
Prefácio do Tradutor    13
Introdução    17

PRIMEIRA PARTE — TEORIA

CAPÍTULO I — DEFINIÇÃO DA MAGIA    25

CAPÍTULO II — O HOMEM — Resumo de sua constituição anatómica, fisiológica e psicológica    34
A máquina humana    36
O homem impulsivo    39
Resumo    50
Relações do homem de vontade com o ser impulsivo    52
A força nervosa    57
O sono natural;    59
A embriaguez    60
O hipnotismo — A sugestão    61
A loucura    63
Resumo    64
Bibliografia    66

CAPÍTULO III — A NATUREZA — Resumo de sua constituição anatómica, fisiológica e psicológica    67
Bibliografia    87

CAPÍTULO IV — O ARQUÉTIPO    89
A Unidade    91

SEGUNDA PARTE — REALIZAÇÃO

CAPÍTULO V — REALIZAÇÃO DO HOMEM — Preliminares — O que sente    97
Alimentos — Realização do Ser Instintivo    98
Vegetarismo  101
O vegetarismo sentimental  102
Do regime animal  104
Do emprego dos excitantes materiais  105
O álcool 
O café 106
O chá 107
Haxixe — Ópio — Morfina 108
Realização ou Invenção — Manejo dos excitantes 108
O ar inspirado — Realização do Ser anímico 109
Da sensação — Educação do Ser psíquico  113
Tato 114
Paladar  114
Olfato 114
Audição 114
Visão 115
Os excitantes intelectuais — A música  116
Resumo geral 117
Adestramento do Ser instintivo 118
Adestramento do Ser anímico 119
Adestramento do Ser intelectual  120
Bibliografia  121

CAPÍTULO VI — DA MEDITAÇÃO — O que pensa   123
Segundo período — Psicometria — Telepatia   126
O Amor — Excitante do homem de vontade   127
Dos obstáculos — Reação do Ser impulsivo   129
Bibliografia   131

CAPÍTULO VII-REALIZAÇÃO DA VONTADE 132
A educação do olhar — Espelhos mágicos — Magnetismo 132
A palavra 134
O gesto  136
A baqueta mágica 137
A espada 137
Dissolução de uma larva por uma ponta de aço — Repercussão
sobre o corpo físico da feiticeira 138
Os talismãs 145
O andar  148
Adestramento total do Ser humano — Castidade — Amor 148
Resumo 150
Bibliografia 151

CAPÍTULO VIII — REALIZAÇÃO DA NATUREZA   152
Elementos de astrologia astronómica   152
Os signos do Zodíaco  153
Lua   155
Mercúrio   155
Vénus   156
Sol   156
Marte  156
Júpiter   156
Saturno  156
Amizades e inimizades  157
Posição respectiva dos planetas — (Aspectos)  158
Conjunção — Quadratura — Oposição  158
fdaçõfs que existem entre os planetas e os signos do Zodíaco — Casas planetárias  158
A Lua nos doze signos  159
Influência da Lua sobre o sexo das crianças  161
Dos outros planetas  162
Sol — Agenda mágica  162
Para o amor  162
Para se tornar invisível  165
Horas atribuídas aos planetas  166
Bibliografia  167

CAPÍTULO IX — INFLUÊNCIA DOS PLANETAS NOS TRÊS REINOS DA NATUREZA SUBLUNAR - Astrologia natural  168
temo mineral 168
Metais e pedras 168
Pedras atribuídas aos planetas 169
Cmriosas revelações sobre a virtude de certas pedras  169
Saturno 169
Júpiter 170
Marte 170
Sol: 170
Vénus  171
Mercúrio 171
Lua Í71
Reino vegetal  171
As ervas mágicas 171
Saturno 172
Júpiter 172
Marte 173
Sol 173
Vénus 174
Mercúrio  175
Lua  175
Reino animal 175
Tradições da Magia dos campos acerca dos animais planetários 176
Saturno 176
Júpiter 176
Marte  177
Sol 177
Vénus 177
Lua 177
Ações dos planetas sobre o Homem  178
Influência dos planetas sobre o Microcosmo   178
A) — Intelecto   178
Correspondências planetárias segundo a tradição hermética
(Século XVI)   179
B) — Corpos Físicos   180
Influência dos signos do Zodíaco e suas relações   183
Quadro geral das correspondências planetárias, tirado das obras
de Oger Férier, fixando a tradição no século XVI   184
Bibliografia   186

CAPÍTULO X — RESUMO DE ASTROLOGIA CABALÍSTICA   187
Saturno   188
Júpiter   190
Marte   192
Sol   195
Vénus   197
Mercúrio  200
Lua  203
Estações do ano  206
Resumo  208
Bibliografia  210

TERCEIRA PARTE — ADAPTAÇÃO

CAPÍTULO XI — IMANTAR — Adaptação — 1a fase — Preliminares   213
As práticas pessoais214
A prece 215
A cadeia mágica216
O Laboratório Mágico — Preparação e conservação dos objetos necessários   218
O quarto 219
O altar 221
Espelho mágico   222
Da água 222
Do sal e da cinza   223
A cinza   224
Dos perfumes e do fogareiro 224
Perfumes dos planetas225
Perfume sintático: Incenso 225
O fogareiro mágico 226
A lâmpada mágica 226
O espelho mágico229
Processo simples de adivinhação pelo espelho mágico231
Os talismãs 231
Daí substâncias de que se compõem os talismãs231
A) — Metais231
B) — Pele, pergaminho e papel232
Gravura dos caracteres sobre os metais232
Buril2
Desenho dos talismãs sobre pergaminho ou pele233
Desenho do talismã235
Conservação dos talismãs235
Estabelecimento do horóscopo da operação236
Resumo238
Bibliografia238

CAPÍTULO XII — CONCENTRAR — Adaptação — 2- fase — A semana do magista — As sete orações misteriosas   239
O dia   240
As sete orações misteriosas do Enchiridião 241
Domingo   241
Segunda-feira   241
Terça-feira   242
Quarta-feira   242
Quinta-feira   243
Sexta-feira   243
Sábado   244
O sétimo dia   244

CAPÍTULO XIII — IRRADIAR — Adaptação — 3a fase — O magista e a sociedade  247
Leitura das assinaturas  248
O magista e a religião  259
O magista e a pátria  261
Bibliografia  263

CAPÍTULO XIV — O MAGISTA E O MICROCOSMO — O Magnetismo e a Hipnose  264
Irradiação — Parte esotérica  264
Hipnotismo e Magnetismo  264
1º — Estado de receptividade  265
Atração para trás  265
Atração do dedo mínimo  265
Sugestão no estado de vigília  266
Influência do ponto brilhante e do espelho rotativo  266
Influência do espelho mágico  266
2° — Hipnotização do paciente  266
Sugestão simples  266
Ponto brilhante — Espelho rotativo — Olhar — Passes  267
32 — Determinação das fases  267
Os estados profundos da hipnose  269
Estados de relação  272
Estados de simpatia ao contato  275
Estado de lucidez
Estado de simpatia a distância276
4a — Despertar do paciente 282
Os feiticeiros e o magnetismo283
OS FEITICEIROS DE ALDEIA EA SUGESTÃO 284
O envultamento290
Experiências do Coronel de Rochas290
O alfabeto simpático294
Bibliografia295

CAPÍTULO XV — O MAGISTA E O MACROCOSMO — As Evocações   296
Quadro das correspondências do quaternário mágico (segundo Éliphas Lévi)302
Evocações segundo os grimórios 304
Bibliografia 308

CAPÍTULO XVI — A MEDICINA HERMÉTICA — Alopatia, Homeopatia, Hermetismo  309
Caráter e cura das obsessões  309
A obsessão  312
Tradições de medicina hermética conservada nos campos  314

CAPÍTULO XVII — SÍNTESE DA ADAPTAÇÃO — A grande operação 317
Discurso de Salomão a Roboão, seu filho 317
Objetos necessários para as operações da arte evocatória 319
Orações 324
O livro326
O círculo mágico 327
Preparação pessoal 330
Regime 332
Confissão 332
Os banhos 333
A operação 334
Conjurações para os sete dias da semana 341
Domingo 341
Segunda-feira343
Terça-feira344
Quarta-feira 344
Quinta-feira 345
Sexta-feira - 346
Sábado 347
Juramentos e submissões dos espíritos 348
As experiências mágicas do 'Grupo Independente de Estudos Esotéricos' 349
A exteriorização do corpo astral 352
Primeiro caso 353
Segundo caso354
Terceiro caso 355
Experiências de Emile Desbeaux e Léon Hennique 356

CONCLUSÃO    361
 
APÊNDICE
A cerimónia mágica  367
I — Golpe de vista histórico  367
Homero  368
As Mil e Uma Noites  369
Martinez de Pasquallis  369
A evocação de Apolônio de Thyana  369
Involução da evocação mágica  371
Bibliografia resumida 373
A) — Tratados correntes de prática 374
B) — Grimórios — Bufarinhice 377
C) — Tratados didáticos 379
II — Os filtros de amor383
Um grimório de feiticeiro 386
 
PEQUENO DICIONÁRIO MÁGICO   393
 
A DEFESA CONTRA O ENVULTAMENTO   405
Primeira parte — Ritual  405
O carvão  405
As pontas  406
As fotografias  406
A prece e o nome de Cristo  407
Segunda parte — Os fatos  407
O feiticeiro envultador     407
Informações Adicionais
Livro NOVO

Formato 23 x 16 cm

Editora Pensamento, 11ª Edição, 2008

408 páginas