Nossos Filhos são Espíritos

Nossos Filhos são Espíritos

Disponível: Sem estoque

Autor: Hermínio C. Miranda

Livro Usado

É verdade mesmo que somos todos seres preexistentes? Quer dizer que já vivemos antes e até podemos ter conhecido nossos pais, irmãos e amigos de outras existências? Quer dizer, então, que a morte não é essa coisa definitiva que a gente pensava ser?
saiba mais
Descrição

Detalhes

É verdade mesmo que somos todos seres preexistentes? Quer dizer que já vivemos antes e até podemos ter conhecido nossos pais, irmãos e amigos de outras existências? Quer dizer, então, que a morte não é essa coisa definitiva que a gente pensava ser?
 
NOSSOS FILHOS SÃO ESPÍRITOS é uma reflexão acerca da infância do ser humano na Terra.
 
As crianças são pessoas 'adultas', vividas, experimentadas e dotadas, às vezes, de maior capacidade intelectual e maior bagagem cultural do que muitos de nós. A dificuldade que experimentam, nos primeiros anos de vida na carne, é apenas a de movimentar satisfatoriamente sua maqui-ninha de viver na Terra, que só fica 'pronta' para funcionar aí pela adolescência e, nas suas melhores condições, lá pela maturidade. Não poucos anos são consumidos em adaptar-se a esse corpo, à espera de que possa responder adequadamente aos comandos da mente que a ele se acoplou, no início da gestação. O aprendizado é lento e difícil, pois envolve complexidades muitas, ditadas pela necessidade de adaptação ao meio, desenvolvimento de um correto sistema de comunicação, formação cultural, recuperação de habilidades físicas e mentais, bem como uma técnica de convivência com os seres junto aos quais fomos colocados.
 
O importante na tarefa de administrar o relacionamento pais/filhos está na convicção nítida da realidade espiritual, ou seja, a de que trazemos em nós um vasto e pouco explorado universo inespacial extremamente rico em potenciali-dades, cujo conhecimento muito poderá ajudar-nos a entender melhor aquilo a que poderíamos chamar de o ofício de viver.
Comentários
Sumário
Apresentação           7
1.  Olhos de ver e olhos de olhar          9
2.  Coisas  para desaprender         13
3.  Como reordenar o pensamento         19
4.  Responsabilidade         23
5.  Um frasco de veneno         31
6.  Hoje ou daqui a muitos Halleys?         39
7.  Nascer é que é o problema, e não morrer         43
8.  Para que nascemos?         49
9.  Reflexões sobre a adoção         55
10.  'Bem, vamosjá!'         61
11.  Mistérios do processo de comunicação         67
12.  É conversando que nos entendemos         75
13.  Experiências e observações de uma jovem mãe         81
14.  Só esquecemos aquilo que sabemos         89
15.  Pessoas que se lembram do esquecido         97
16.  Não é trágico ser médium        109
17.  Dom Bial e seu amigo Blatfort        117
18.  A debatida influência do meio        129
19.  Filhos deficientes       137
20.  Dramático depoimento de um espírito        147
21.  Não é preciso  'torcer o  pepino'        153
22.  Presença de Deus        161
23.  O pós-escrito que virou capítulo        171
24.  Do estado sólido ao gasoso        179
25.  'Até um dia!'        187
26.  O ofício de viver        193 
Referências bibliográficas        199
Informações Adicionais
Livro Usado Texto, gravuras e fotografias íntegros

Formato 18 x 13 cm

Editora O Claim, 3ª Edição, 1991

199 páginas